SEGURANÇA NAS CIDADES COMO OBTÊ-LA

Tempo de leitura: 4 minutos

imagem-para-post-jovem-de-bicicleta-no-meio-de-uma-plantacao-de-flores
todos-querem-o-direito-à segurança(foto depositphotos.com)

A SEGURANÇA É HOJE O MAIOR DESAFIO DAS AUTORIDADES

Creio que se fizesse uma pesquisa nacional, a segurança apareceria em primeiro lugar disparado. O cidadão de bem está no limite da suportabilidade ante tanto banditismo.

Duas coisas me levam a pensar que o ser humano não deu certo: agressões a animais, e ao entrar numa agência bancária deparar-me com aquele “monstrengo” escondendo o público que espera pelo atendimento, de quem está fazendo sua operação no caixa.

Esta última medida – diga-se de passagem-, importante à segurança das pessoas, no meu entender é o que mais me causa vergonha de ser chamado humano.

3% DE BANDIDOS ENCURRALAM 97 DA POPULAÇÃO ORDEIRA E HONESTA!

Hoje a sociedade está dividida entre 3% de bandidos e 97% de medrosos, omissos, covardes e egoístas (estou me incluindo). Canso de assistir na televisão cenas principalmente de mulheres que tem sua bolsa arrancada, geralmente por dois meliantes, à vista de 10, 20 ou mais transeuntes, e todos fingem que não viram nada!

O mais sagrado de todos os direitos não é respeitado – a tranquilidade e sossego do lar-, com a “visita” de quadrilhas de maldosos que entram não só para roubar, mas sobretudo humilhar a família toda, com o marido assistindo a cenas de estupro da própria mulher e de seus filhos.

A sociedade está tão apavorada, os verdadeiros valores foram tão surrupiados, que bandidos de dentro dos presídios comandam ações aqui fora (estamos cansados de assistir as cenas de ônibus e veículos até da própria polícia queimados, a mando de facções criminosas).

face-1-11-1016
Só-esses-tem-segurança de andar armados (foto banco de imagem do google)

O QUE A SECRETARIA DE SEGURANÇA DE UM MUNICÍPIO DEVERIA OFERECER AO CONTRIBUINTE?

A república e o estado (unidades da federação) estão quebrados. Ontem mesmo, ao assistir ao Jornal da Globo, o déficit do governo federal foi o maior desde 2001, quase 90 bilhões de reais só no mês de setembro passado.

Portanto, pouco ou nenhum dinheiro virá dessas duas fontes para os municípios.

Cada cidade, pequena, média ou grande deverá se virar à sua maneira, usar sua própria criatividade se quiser ter dias melhores.

A polícia (tanto civil, quanto militar) está de mão atada, primeiro por falta de equipamentos compatíveis com o poderio bélico dos bandidos e, segundo, pelo número limitado de integrantes. Seu eu disser aqui o número de policiais militares e civis responsáveis pela segurança de cada município do Brasil, com certeza você vai sair correndo e pedir socorro ao bispo de Pirarucu.

Não há como vigiar cada espaço público, colocar policiais para o exercício da segurança preventiva. Hoje a polícia faz o papel de “enxugar” gelo.

ENTÃO, QUAL A SAÍDA?

Simples, com pouco gasto e 100% de atitudes  coletivas. A Secretaria de Segurança da cidade ficaria responsável por um Programa Municipal de preparação da população para ferramentas e metodologias de defesa pessoal.

Aproveitar-se-ia os espaços públicos (escolas, nos finais de semana), para ensinar técnicas de defesa pessoal a crianças, jovens e adultos, a como se sair em caso de assalto, mesmo que o marginal ou marginais estejam armados.

Além da ação pessoal, um a um, outra coletiva poderia ser colocada em prática, tipo: todo cidadão de bem usaria um instrumento específico, apito, por exemplo, e ao primeiro sinal de perigo acionaria tal ferramenta, cuja irradiação seria retransmitida por todos que estivessem nas imediações do fato, e em segundos, dezenas, centenas de pessoas do bem estariam ali para dar uma lição naquele, ou naqueles ditos “espertalhões”.

E com relação à proteção de sua casa, seu imóvel, seu sítio, sua fazenda?

Um abaixo assinado com milhões de assinaturas (hoje isso é fácil) existe a ferramenta na internet Change.org, que possibilita isso, exigiria dos políticos, permitir o porte de arma em sua casa, estabelecimentos comercial e industrial, sitio, fazenda e, por que não dizer, até em igrejas, pois nem esse lugar sagrado os marginais respeitam mais.

No meu caso, se a lei fosse aprovada, com certeza teria na minha casa não um “trintaoitão”, mas uma “doze” que pudesse fazer um senhor estrago ao ilustre ou ilustres visitantes, afinal, o  direito à defesa da própria vida é um dogma sagrado.

Fica aí, portanto, as sugestões de um cidadão que está cansado de ver o néscio, a podridão, a covardia de 97% da população (repito, inclusive eu), e a acomodação de quem deveria cuidar de nossa segurança.

 

face-1-11-1016-1
uma-sociedade-com-mais-segurança (foto banco de imagens do google)

Ficar só orando, rezando, pedindo proteção a DEUS resolve em parte, mas cada cidadão deve desenvolver sua ação efetiva, prática.

Está lançada a ideia e se você achar que não é um amontoado de besteiras, a toque prá frente.

De que forma?

Compartilhe com seus amigos, deixe seu comentário abaixo.

Conto com sua ação concreta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *